Home / Artigo / Onde trabalhar com Perícia Digital?
banner onde trabalhar com perícia digital
Veja as possibilidades de trabalho de um profissional de perícia digital

Onde trabalhar com Perícia Digital?

O mercado de Perícia Forense Digital é bem amplo. Os profissionais devidamente habilitados têm opção de atuação desde setores governamentais, passando pelas forças da lei, até grandes empresas e consultorias de fraude e compliance, bem como advogados. Para os profissionais do direito, a perspectiva na Perícia Forense Digital é um plus valioso, tendo em vista que o Brasil ocupa a 4ª posição de país mais ameaçado pelo cibercrime, segundo a Symantec. O leque também está sendo aberto para empresas de médio e pequeno porte, assim como indivíduos, uma vez que a demanda por investigações acompanha o crescimento dos crimes virtuais, das fraudes e invasões de sistemas informáticos. 

O mercado de perícia forense digital é diretamente impactado pelo avanço e crescente complexidade da tecnologia. Logo, é legítimo presumir que as perspectivas são de ainda mais crescimento para as carreiras do setor. Além da diversidade de demanda, um estudo da Associação Brasileira de Criminalística (ABC), baseado em recomendações das Nações Unidas, aponta que o Brasil precisaria ter 40 mil peritos para atender a demanda de casos. O parâmetro da ONU indica o mínimo de um perito para cada cinco mil habitantes, entretanto, atualmente, não há sequer mais de 10 mil peritos nos Institutos Estaduais de Perícia Criminal

No Governo e nas Forças Policiais, os especialistas podem prestar concursos públicos para exercer função de Perito Federal, Perito Estadual e Perito Judicial. Há ainda a possibilidade de nomeação de Perito Particular, sem necessidade de concurso público. Vale frisar que para prestar serviços de perícia aos setores públicos, o Perito Digital deve possuir notório saber na área em que vai atuar como perito, além de ser habilitado nas comarcas cíveis e/ou trabalhistas da cidade. 

O procedimento mais comum para se habilitar para prestar estes serviços de perícia inclui encaminhamento ao juiz de currículo, certidão de antecedentes criminais, diploma de formação e um certificado de não parentesco com juízes. Sempre pesquise as regras da comarca do seu interesse. 

Já para aplicar à carreira de Perícia Forense Digital no setor privado, o profissional pode ocupar as funções de Analista Forense Digital, Especialista em Resposta a Incidentes ou Técnico em Perícia Forense Digital. Todas as posições oferecem suporte às áreas de compliance e jurídico, atendendo às demandas de segurança da informação, auditoria interna, prevenção a fraudes corporativas entre outras.    

Perícia Digital em outras carreiras.

Além do conhecimento em Perícia Forense Digital ser base para uma carreira específica, é cada vez mais comum que profissionais da área de tecnologia estudem o tema como complemento de conhecimento. Outros exemplos de grupos que podem trabalhar direta e indiretamente no segmento são os advogados e auditores, atuantes em processos de segurança, coletas de evidências e identificação de autores de eventuais práticas delituosas.

Independente de qual seja a ramificação escolhida para a atuação com Perícia Digital, é fundamental estudar e certificar-se no assunto. Levando isso em consideração, é prioritário optar por uma instituição reconhecida que ofereça, mais do que teoria, um curso diferenciado por trazer a combinação entre práticas chanceladas mundialmente, bem como utilizadas no mercado, e conteúdo teórico altamente qualificado.
Conhecimento, embasamento jurídico, técnica e curiosidade são alguns dos fundamentos da carreira de Perícia Forense Digital, mas há muitas outras práticas que permeiam essa profissão. Para direcionar os interessados, no blog DARYUS você também encontra o artigo O que é necessário para entrar na carreira de Forense Digital?

Sobre Vanessa Oliveira

Pós-graduada em Marketing Digital, com MBA em andamento em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais, graduada em Comunicação.

Confira tambem

A LGPD é nova, mas a privacidade é velha

O tema privacidade ganhou força nos últimos anos, assumindo papel de protagonista no Brasil devido a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), prevista para entrar em vigor em agosto de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *